A pentacampeã brasileira festejou sua segunda vitória no Circuito CBSurf Pro derrotando Julia Duarte e Lucas veio desde a triagem até a final contra Ian Gouveia.

Campeões | CBSurf Floripa Pro | Fotos: Pablo Jacinto

A pentacampeã brasileira Silvana Lima e o carioca Lucas Silveira conquistaram os títulos do CBSurf Floripa Pro apresentado pela Prefeitura de Florianópolis no mar desafiador do domingo na Praia Mole. A cearense derrotou a jovem carioca Julia Duarte na sua segunda vitória em três participações no Circuito Profissional da Confederação Brasileira de Surf esse ano. Já o campeão veio competindo desde a triagem na segunda-feira, até ganhar a grande final contra o pernambucano Ian Gouveia, que há muitos anos mora em Florianópolis. As vitórias valeram o mesmo prêmio de 30.000 Reais para Silvana Lima e Lucas Silveira.

“Foi demais e essa nova geração tá me inspirando muito”, disse Silvana Lima. “É muito bom isso, porque te dá mais gás. Eu gosto muito de competir e essas meninas estão vindo com tudo. A Tainá (Hinckel) está on-fire, a Julinha (Duarte) comigo na final e a briga pelo título brasileiro vai ser bem boa. O que mais importa é ver o surfe feminino sempre evoluindo, para mostrar aos empresários que essas meninas têm talento e merecem todo apoio para seguir em frente”.

Silvana Lima começou o domingo decisivo ganhando um confronto direto pelo terceiro lugar no ranking com a paulista Julia Santos. Depois, passou pela líder, Tainá Hinckel, na semifinal que terminou empatada. Silvana saiu vencedora por ter conseguido a maior nota. Na decisão do título, ela derrotou outra surfista da nova geração, Julia Duarte. Lucas Silveira também venceu três baterias no mar difícil da Praia Mole, com ondas de 4-6 pés e muita correnteza. A primeira foi com o vice-líder do ranking, Yage Araujo, e a segunda contra o catarinense Willian Cardoso, quando avançou para decidir o título com Ian Gouveia.

“Foi um grande evento e estou muito amarradão, porque não tinha como terminar melhor, numa final com o Ian (Gouveia)”, disse Lucas Silveira. “A gente é muito amigo desde novo, já fizemos várias baterias desde Grommets aqui mesmo na Praia Mole e foi muito irado. Podia ter vindo mais ondas para ter mais show na final, mas pra mim foi bom. Só achei que os 30 minutos demoraram muito pra passar, porque eu sabia que, se ele tivesse oportunidade, podia dar um aéreo e fazer a nota pra ganhar. Mas, estou muito feliz pela vitória”.

DECISÃO FEMININA – A primeira decisão de título do CBSurf Floripa Pro no domingo, foi a da categoria feminina. A carioca Julia Duarte botou pressão na experiente Silvana Lima, pegando boas direitas para atacar de backside. Ela foi aumentando a vantagem a cada onda, já computando notas 4,67 e 4,77, enquanto a cearense só tinha conseguido 2,17. A carioca pega outra direita que forma o paredão e ela abre um grande leque de água na primeira manobra, seguindo com batidas e rasgadas até a beira. Silvana também pega uma boa nas esquerdas, para atacar forte de backside e entrar no jogo.

Ambas recebem nota 6,17 nessas ondas, com a pentacampeã brasileira precisando de 4,78 para vencer. Ela consegue a virada ganhando 4,87 numa direita que abriu até a beira, para fazer uma série de manobras de frontside. Faltando 3 minutos para o término, Silvana repete a dose em mais uma direita finalizada com um floater, trocando o 4,87 por 5,87. Julia Duarte passa a precisar de 5,88 para vencer, mas o tempo acaba e Silvana conquista sua segunda vitória em três participações no Circuito CBSurf Pro, por 12,04 a 10,94 pontos.

“Foi muito emocionante essa final”, disse Silvana Lima. “A Julinha me inspira muito, porque quando eu to chegando na praia lá no Recreio (dos Bandeirantes-RJ), ela já tá saindo do surfe. Todo dia, 5h00 da manhã, a mina tá na praia, a gente sempre treina juntas, então é demais ver essa evolução da nova geração. Eu já vou fazer 38 anos, mas essas meninas me inspiram cada vez mais para ficar mais jovem (risos)”.

TERCEIRA FINAL – Essa foi a terceira final seguida das duas nas três últimas semanas. Na primeira, enquanto Silvana Lima ganhava uma etapa do QS em Ubatuba (SP), Julia Duarte foi vice-campeã contra Tainá Hinckel no CBSurf Pro Matinhos no Paraná. No domingo passado, as três se encontraram na decisão do CBSurf São Chico Pro, também vencida por Tainá Hinckel, com a Silvana ficando em terceiro lugar e a Julia em quarto. No CBSurf Floripa Pro, Silvana conquistou mais uma vitória esse ano, mas Julia se manteve em segundo lugar no ranking liderado por Tainá Hinckel, com a cearense subindo da sétima para a terceira posição.

“Eu tentei de tudo, mas a Silvana (Lima), que é uma ídola para mim, conseguiu ser melhor do que eu”, disse Julia Duarte, que tem apenas 19 anos. “Se eu voltasse ali daquela batida de backside, acho que poderia ganhar. Eu comecei bem a bateria, mas não esperava que ela fosse achar aquela esquerda e depois virou em cima de mim numa direita. Mas, tá tudo certo, a Sil é monstro mesmo, do CT né, vice-campeã mundial e vamos pra próxima, porque tem muitos campeonatos ainda para eu tentar ser campeã brasileira”.  

FINAL MASCULINA – A final masculina fechou o CBSurf Floripa Pro, com Lucas Silveira já começando forte, mandando um rasgadão de frontside no crítico de uma grande onda, que arrancou nota 8,17 dos juízes. Ian Gouveia respondeu bem, atacando uma esquerda com um manobrão também que valeu 7,00. Mas, Lucas estava on-fire e pegou outra direita para somar 7,07 com uma rasgada e uma batida, deixando Ian nas cordas, precisando de 8,24 para vencer.

Só que o mar dá uma parada e o pernambucano fica esperando a entrada de outra série com ondas boas. Mas o tempo passa, soa o sinal dos 5 minutos finais e Ian Gouveia escolhe uma direita faltando 3 minutos, porém erra a primeira manobra. Logo, pega uma esquerda procurando a rampa pra voar, mas ela não forma. Lucas Silveira então se aproxima dele para fazer uma marcação até terminar a bateria e festejar a vitória por 15,24 a 7,83 pontos.

“Foi um evento incrível pra mim. Teve todo tipo de condição de mar de segunda-feira até hoje, deu altas ondas e estou muito feliz”, disse Lucas Silveira. “Eu machuquei o joelho pouco tempo atrás, depois perdi de cara uns três eventos, então esse campeonato foi bom para pegar mais rip de competição. Acho que foram umas dez baterias e as homem a homem foram todas muito difíceis. Teve as oitavas de final com o Michael (Rodrigues), depois o Yage (Araujo) que fez quase um 10 hoje, o Willian (Cardoso) também surfando muito e a final com o Ian (Gouveia). Então, terminar assim, com a vitória, foi uma semana perfeita pra mim”.

Essa foi a primeira participação de Lucas Silveira no Circuito Profissional da Confederação Brasileira de Surf, depois da eleição de Teco Padaratz para a presidência. A nova diretoria está resgatando o surfe brasileiro, oferecendo uma premiação recorde de 280.000 Reais em cada etapa. O CBSurf Floripa Pro foi a quarta da temporada iniciada em Maceió (AL), que já passou por Saquarema (RJ) e Matinhos (PR). A próxima será nos dias 24 a 30 de outubro na Praia da Taíba, em São Gonçalo do Amarante, litoral norte do Ceará.

RANKING CBSURF – Com a vitória na Praia Mole, Lucas Silveira já tem os mesmos 10.000 pontos do saquaremense Lucas Chianca e do cearense Cauã Costa, ficando entre a 15.a e 17.a colocação no ranking. Ou seja, já entrou no grupo dos 50 primeiros colocados que formarão a nova elite nacional da CBSurf, que vai disputar os títulos brasileiros no Dream Tour de 2023. O vice-campeão do CBSurf Floripa Pro, Ian Gouveia, subiu do 45.o para o oitavo lugar com os 8.000 pontos recebidos. O líder continua sendo o capixaba Krystian Kymerson, agora seguido pelo baiano Yage Araujo em segundo lugar e o potiguar Alan Jhones em terceiro.

“Eu achei boas ondas no evento inteiro, menos na final, mas ainda bem que foi agora, porque pelo menos eu cheguei na final né (risos)”, disse Ian Gouveia. “Mas, estou feliz pelo Lucas, porque ele tem passado por momentos difíceis na vida pessoal. Nos últimos anos, ele vinha fazendo belos resultados, quase entrou no CT e estou muito feliz por ele vencer esse evento. Eu também tive uns anos difíceis, mas em Arica (QS do Chile) eu consegui fazer a final lá, então foi onde a chave virou e agora estou amarradão em chegar em outra final. Foi a primeira na CBSurf esse ano e espero conseguir mais, para brigar pelo título brasileiro”.

Diferente de Lucas Silveira, Ian Gouveia enfrentou o mar desafiador da Praia Mole no domingo quatro vezes. Isso porque teve que disputar a última bateria das oitavas de final, contra o recordista absoluto do CBSurf Floripa Pro com duas notas 10 e 19,77 pontos de 20 possíveis, Mateus Herdy. Depois, ganhou dois duelos somando iguais 15,83 pontos, contra o líder do ranking catarinense, José Francisco, nas quartas de final e Robson Santos nas semifinais, quando ganhou a segunda maior nota do dia, 9,33, numa onda que fez um grande aéreo.

MELHORES DO DIA – A maior foi o 9,77 recebido por Yage Araujo pelo aéreo “alley oop” muito alto que acertou na abertura das quartas de final. O baiano mora em Florianópolis há 2 anos, sempre treina na Praia Mole e, se passasse essa bateria, assumiria a liderança do ranking brasileiro. Só que enfrentou um inspirado Lucas Silveira, que já tinha começado bem e respondeu com três pancadas de backside de cabeça pra baixo numa esquerda boa também, que valeram nota 9,0 para vencer com o maior placar do dia, 16,50 a 14,14 pontos. Com a vitória, Lucas Silveira manteve o capixaba Krystian Kymerson na liderança do ranking.

“As condições estão do jeito que eu gosto, lembra um pouco a minha casa em Itacaré (BA) e eu tava bem à vontade”, disse Yage Araujo. “Eu escolhi buscar as rampas pra mandar os aéreos, mas infelizmente não consegui encaixar uma segunda nota. Acertei o alley oop e se voltasse no full rotation ali, eu teria virado. Mas, estou amarradão com minha performance, de estar surfando bem e disputando o título. Eu sabia que, se eu passasse pra semifinal, já assumia a liderança, mas foi mais um bom resultado e vamos com tudo pros próximos eventos”.

CBSurf Floripa Pro apresentado pela Prefeitura de Florianópolis promoveu a quarta etapa da Divisão Principal do Circuito Profissional da Confederação Brasileira de Surf (CBSurf) e foi realizado com patrocínio da Prefeitura Municipal de Florianópolis, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude, Dream Factory, GND Incorporadora, Selina Floripa Hotel, Surfland, Silverbay, Fu-Wax e Açaí do Joca Junior, além do apoio da Fico, Lord, Layback, Cabanas da Praia Mole, Federação Catarinense de Surf e Associação de Surf da Praia Mole.

Mais informações, notícias, fotos, vídeos, resultados e rankings no www.cbsurf.org.br.

———————————————————–

Assessoria de Imprensa do CBSurf Floripa Pro

João Carvalho – JBC Notícias e Assessoria

(48) 999-882-986 – [email protected]

———————————————————–

RESULTADOS DO CBSURF FLORIPA PRO NO DOMINGO:

DECISÃO DO TÍTULO FEMININO:

Campeã: Silvana Lima (CE) por 12,04 pts (6,17+5,87) – R$ 30.000 e 10.000 pontos

Vice-campeã: Julia Duarte (RJ) com 10,94 pts (6,17+4,77) – R$ 15.000 e 8.000 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com R$ 11.000 e 6.500 pontos:

1.a: Silvana Lima (CE) 8,50 x 8,50 Tainá Hinckel (SC) (5,83×4,50)

2.a: Julia Duarte (RJ) 9,66 x 7,30 Laura Raupp (SC)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com R$ 7.000 e 5.100 pontos:

1.a: Silvana Lima (CE) 12,43 x 1,67 Julia Santos (SP)

2.a: Tainá Hinckel (SC) 8,56 x 1,33 Isabelle Nalu (SC)

3.a: Julia Duarte (RJ) 10,34 x 1,34 Kayane Reis (RJ)

4.a: Laura Raupp (SC) 2,54 x 1,23 Taís Almeida (RJ)

DECISÃO DO TÍTULO MASCULINO:

Campeão: Lucas Silveira (RJ) por 15,24 pts (8,17+7,07) – R$ 30.000 e 10.000 pontos

Vice-campeão: Ian Gouveia (PE) com 7,83 pts (7,00+0,83) – R$ 15.000 e 8.000 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com R$ 11.000 e 6.500 pontos:

1.a: Lucas Silveira (RJ) 12,10 x 4,23 Willian Cardoso (SC)

2.a: Ian Gouveia (PE) 15,83 x 13,00 Robson Santos (SP)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com R$ 7.000 e 5.100 pontos:

1.a: Lucas Silveira (RJ) 16,50 x 14,14 Yage Araujo (BA)

2.a: Willian Cardoso (SC) 12,00 x 10,54 Adriano de Souza (SP)

3.a: Robson Santos (SP) 13,00 x 5,83 Peterson Crisanto (PR)

4.a: Ian Gouveia (PE) 15,83 x 13,44 José Francisco (PB)

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com R$ 5.000 e 3.600 pontos:

—-realizada até a 6.a bateria na sexta-feira:

7.a: José Francisco (PB) 13,33 x 9,23 Patrick Plachi (SC)

8.a: Ian Gouveia (PE) 13,10 x 12,20 Mateus Herdy (SC)

TOP-10 DO RANKING BRASILEIRO CBSURF PRO – 4 etapas:

01: Krystian Kymerson (ES) – 18.900 pontos

02: Yage Araujo (BA) – 17.700

03: Alan Jhones (RN) – 16.200

04: Marcos Correa (SP) – 14.100

05: Hizunomê Bettero (SP) – 13.300

06: Peterson Crisanto (PR) – 13.100

07: Mateus Sena (RN) – 12.800

08: Ian Gouveia (PE) – 12.200

09: Samuel Igo (PB) – 12.000

10: Messias Felix (CE) – 11.400

TOP-10 DO RANKING BRASILEIRO CBSURF PRO – 4 etapas:

01: Tainá Hinckel (SC) – 33.000 pontos

02: Julia Duarte (RJ) – 24.700

03: Silvana Lima (CE) – 23.600

04: Julia Santos (SP) – 18.900

05: Mariana Areno (RJ) – 18.500

06: Yanca Costa (RJ) – 18.400

07: Larissa dos Santos (CE) – 17.200

08: Taís Almeida (RJ) – 15.000

09: Kemily Sampaio (SP) – 14.200

10: Monik Santos (PE) – 14.100

Sede: Avenida das Américas, 3434, Bloco 02, sala 408, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro/RJ – CEP: 22640-102

Subsede: Rodovia Jornalista Manoel de Menezes, 2001, Praia Mole, Florianópolis/SC – CEP: 88.0061-700

Atendimento: de Segunda à Sexta das 09h às 17h  |  Fone: (48) 99971 9599

logo_cbs-99

©2022. Confederação Brasileira de Surf