BANNER SITE CBSURF MACEIO

●     Evento começou ao meio dia desta quarta (20) e contou com 7 baterias da primeira fase masculina 

●     O atleta de Itacaré, Yage Araújo, conquistou a melhor nota do dia e do campeonato até então

Maceió, 20 de setembro de 2023 – Dando sequência na primeira fase masculina, o Vivo Dream Tour Maceió, apresentado por Shell contou com mais 7 baterias durante a tarde desta quarta-feira. O evento começou ao meio dia com o já esperado show de surfe entre os atletas da Divisão Principal da Confederação Brasileira de Surf (CBSurf).

A primeira bateria do dia e terceira do campeonato começou com a presença do paulista Wesley Leite que acabou de vencer a São Chico Pro Taça Brasil, que aconteceu na semana passada. Junto a ele Kaua Hanson (PB), Jannifer de Sousa (CE) e Gabriel André (SP). Somando 11.70 pontos Wesley se classificou com o primeiro lugar e Kaua Hanson em segundo com 10.20.

“Estou muito feliz. Trabalho muito e isso tudo é consequência do que venho fazendo com a minha equipe. Estou amarradão em ter conquistado um terceiro lugar na última etapa do Dream Tour, logo depois fui campeão no Taça Brasil e conquisto hoje uma vitória logo de cara aqui em Maceió. Agradeço a Deus a oportunidade de estar vivo, com saúde, com amigos e patrocinadores”, disse Wesley. 

Na sequência, tivemos uma bateria 100% paulista com os atletas Edgard Groggia, Robson Santos e Gustavo Ribeiro. Avançaram para a próxima fase Edgard, que pegou 14 ondas, somando 11.73 e Gustavo com o total de 11.43.

“Tínhamos ondas, mas não estava fácil, então optei por aproveitar todas as oportunidades e deu certo. Estou muito feliz em estar aqui e conseguir conciliar o calendário mesmo sendo bem corrido. Infelizmente não pude participar de uma etapa do Dream Tour por conta do Challenge, mas nenhum outro evento vai ser na mesma data então sigo com o meu objetivo que é brigar pelo título brasileiro e me manter entre os cinco primeiros do ranking. É muito legal ver todos esses atletas juntos. Em cada uma das etapas pudemos ver um jovem surfista competindo com alguém de outra geração mais antiga, é demais ver como o nível do surfe brasileiro está alto”, disse Edgard.

Após o campeonato ficar em espera por alguns minutos devido a chuva, a bateria de número cinco reiniciou as batalhas com nomes da nova geração da modalidade como Diego Aguiar (SP), Luan Ferreyra (PE), Daniel Templar (RJ) e Victor Costa (RN). A disputa pegou fogo e o destaque e a classificação ficaram com Diego que somou 12.03 pontos e Luan passando com 11.17.

“Sabia que seria uma bateria boa, ainda mais com esses adversários que surfam muito. Então comecei bem e fui administrando. O mar está difícil, mas fico feliz em ter conseguido me classificar para o próximo round”, contou Diego Aguiar.

O título de disputa mais emocionante do dia ficou com a sexta bateria. Nela estavam Deyvson Santos (RN), Mateus Sena (RN), Heitor Alves (SC) e Luan Hanada (SP). O campeão foi definido já na areia ao fim da bateria, onde Deyvson aguardou a pontuação da sua última onda ser anunciada pelo locutor. A vitória ficou com os dois atletas potiguares com Deyvson em primeiro lugar com a somatória de 13.10 e Mateus Sena com 13.07.

“Tive muita fé e acreditei que a onda viria e consegui virar a bateria no último momento. Agradeço a Deus por estar vivo, por essa vitória e por ter enviado aquela onda no último minuto, além da minha família e minha esposa. Agradeço o apoio da torcida de Natal, treino com o Mateus na mesma academia e também marcamos de surfar juntos, somos grandes amigos, ele me inspira e está quebrando”, falou Deyvson.

Seguindo em ação nas ondas de Trapiche da Barra, a sétima bateria reuniu Willian Cardoso (SC), Hizunome Betero (SP), Flávio Nakagima (SP) e Renan Pulga (SC). Com boas manobras, avançaram para a segunda fase de disputas do Vivo Dream Tour Maceió, apresentado por Shell. Willian venceu a bateria somando 11.96 pontos, seguido de Hizunome com 11.50, também conquistando uma vaga para o round 2.

“Estou muito feliz de ter avançado, já que quando olhei o chaveamento vi que estaria em uma das baterias mais difíceis do round, principalmente pelos meus colegas atletas que fizeram grandes resultados neste ano, com um rendimento muito alto. Eu não estava vindo de bons resultados, mas consegui ter boas notas em São Francisco do Sul e isso me motivou, me trouxe a vontade de querer vencer. Passei por dois meses difíceis e que mexeram muito com a minha cabeça e mesmo tenso consegui achar a onda”, contou Willian.

Foi na bateria de número oito que veio a melhor nota até então desta etapa. A disputa foi entre Yage Araujo (BA), Luan Wood (SC), Bruno Galini (BA), Cauã Gonçalves (SP). Quem levou a melhor foi o atleta de Itacaré Yage que, além da melhor nota, um 8.0, venceu a bateria também com a maior somatória do evento de 13.80. Representando Santa Catarina, Luan Wood avançou na segunda colocação com 9.80 no total.

“Na minha bateria o mar estava bem lisinho, talvez o melhor momento do dia e consegui achar duas ondas muito boas, fiz um bom score e consegui avançar. Para mim é um sonho estar competindo com toda essa galera. Não pode dar mole, por isso logo na primeira onda eu fiz um 8.0 e fiquei muito feliz de ter avançado para o próximo round”, disse Yage.

A nona bateria foi disputada pelos gigantes Igor Moraes (SP), Weslley Dantas (SP), o wildcard da etapa Ryan Kainalo (SP) e Samuel Igo (PB). Quem se deu melhor nessa foi o paulista Igor, somando 13.40, seguido de Weslley Dantas, o atual líder do ranking, que finalizou com a somatória de 11.90 pontos.

“Costumo falar que neste evento nós temos os melhores do Brasil, então todas as baterias poderiam ser uma final, sempre com um alto nível. Então caí em uma disputa com Weslley Dantas, Ryan e Samuel logo de cara. Tive que dar o meu máximo. Estava muito focado, venho trabalhando há bastante tempo então acho que agora é a hora da colheita. Primeira bateria é sempre tensa, mas agora seguimos. Estou conectado com a onda e a prancha está mágica”, falou Igor.

Encerrando o segundo dia de competição o acirrado confronto de número dez reuniu os atletas Alex Ribeiro (SP), Luan Carvalho (SP), JP Ferreira (SP) e Péricles Dimitri (PR). Avançaram para as próximas baterias os paulistas Alex com a soma de 11.20 e Luan finalizando com 9.63 pontos.

“Tive ondas boas no começo, mas foi uma bateria muito acirrada. Fiquei meio tenso, mas parei de dar aéreos por causa do vento e deu certo fazer outras manobras. Estou muito feliz em estar neste Circuito , acredito que seja o evento mais forte do planeta com estrutura, premiação e alto nível. Sei que tenho experiência, mas não posso dar mole, todos estamos no mesmo nível”, finalizou Alex.

A quinta-feira (21) deve dar continuação às disputas da primeira fase masculina do Vivo Dream Tour, apresentado por Shell, em Maceió.

A Divisão Principal do Circuito Brasileiro conta com empresas que dão a dimensão da relevância do evento no cenário esportivo nacional. O Dream Tour tem a Shell como a cota principal Coapresenta, a VIVO e Corona como Patrocinadoras Master e a Gerdau como Patrocinadora. 

Dream Tour é uma realização da Confederação Brasileira de Surf (CBSurf) e promoção da Dream Factory, que estão juntos resgatando a Divisão Principal do Circuito Brasileiro de Surf, através da Lei de Incentivo ao Esporte do Governo Federal, por meio do Ministério do Esporte. 

Para saber tudo sobre o Dream Tour 2023 siga @dreamtoursurf no Instagram e acesse o site cbsurf.org.br. A competição está sendo transmitida ao vivo no canal CBSurfPLAY do Youtube, e estará disponível na sportv a partir das quartas de final.

Galeria de Fotos por Lima Jr

Sobre a CBSurf

Reconhecida pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e também pela ISA (International Surf Association), a Confederação Brasileira de Surf (CBSurf) é a entidade nacional de administração do surf e de todas as atividades relacionadas aos esportes com pranchas, como definido no Estatuto da CBSurf. A entidade foi originalmente fundada em 17 de outubro de 1998 e conta com 15 federações estaduais filiadas. A sede atual está situada na cidade de Florianópolis, em Santa Catarina, tendo como presidente Flavio Padaratz e como vice-presidentes Paulo Moura e Brigitte Mayer, eleitos em fevereiro de 2022. A CBSurf tem como missão desenvolver, produzir, chancelar e organizar o Dream Tour e a Taça Brasil, que compõem o Campeonato Brasileiro de Surf, o Circuito Brasileiro do Surf de Base, o Circuito Brasileiro de Ondas Grandes, o Circuito Brasileiro de Longboard, o Circuito Brasileiro Master, o Circuito Brasileiro de Stand Up Paddle (Race, Wave, Sprint e Paddleboard) e o Campeonato Brasileiro de Parasurf. Todos, nas categorias masculina e feminina. Acompanhando o enorme sucesso do surf brasileiro, tanto no Circuito Mundial, com seis títulos mundiais nos últimos nove anos, quanto na Olimpíada do Japão, com a conquista da inédita medalha de ouro na estreia do surf, uma nova gestão feita por ex-competidores da elite mundial e pelos melhores profissionais do surf brasileiro, a CBSurf tem, como valor principal, promover e desenvolver a criação de ídolos nacionais, e consolidar as carreiras dos atletas de todas as categorias, inclusive das profissões que gravitam em torno das competições, trazendo dignidade pra toda a comunidade do surf brasileiro. Em 2023, o Dream Tour estabelecerá um padrão e patamar inédito e histórico em todo o mundo.

Sobre a Dream Factory:

Ao longo dos seus mais de 22 anos de existência, a Dream Factory esteve entre as empresas líderes do mercado nacional de entretenimento ao vivo. Inicialmente como executores de eventos, a empresa nasceu após produzir a volta do Rock in Rio para o Brasil, em 2001. Nos momentos seguintes, a empresa foi uma das pioneiras na evolução do setor com a criação e implementação de experiências de marca integradas. Hoje, a Dream Factory é um sistema integrado de entretenimento ao vivo com eventos proprietários, serviços e gestão de comunidades. Entre os eventos proprietários estão marcas conhecidas e queridas pelo público como a Maratona do Rio, a ArtRio, Sertões, Árvore do Rio e mais recentemente, a VidCon SP, o Dream Tour e o MECA.

A Dream Factory também traz em seu guarda-chuva a Dreamloc, que cuida de logística e infraestrutura, a Dream Venue, que atua como operação de “venue”, com a administração de espaços como a Marina da Glória, no Rio de Janeiro; a GoDream, que organiza as vendas de ingresso, bebidas e alimentos, a Dream Strategy, que oferece consultorias estratégicas para marcas e empresas lideres do mercado e a Easylive, uma empresa que capta pontos em troca de benefícios.

Sobre a Shell Brasil:

Prestes a completar 110 anos no país, a Shell é uma empresa de energia integrada com participação em Upstream, no Novo Mercado de Gás Natural, Trading, Pesquisa & Desenvolvimento e no Desenvolvimento de Energias Renováveis, com um negócio de comercialização no mercado livre e produtos ambientais, a Shell Energy Brasil. Aqui, a distribuição de combustíveis é gerenciada pela joint-venture Raízen, que recentemente adquiriu também o negócio de lubrificantes da Shell Brasil. A companhia trabalha para atender à crescente demanda por energia de forma econômica, ambiental e socialmente responsável, avaliando tendências e cenários para responder ao desafio do futuro da energia.

Sobre a Vivo:

A Vivo é a marca comercial da Telefônica Brasil, e tem como propósito “Digitalizar para Aproximar”. A Vivo é um hub digital, facilitando o acesso de seus clientes a serviços em diferentes áreas, como entretenimento, esportes, segurança digital, finanças, saúde e educação. Atua na prestação de serviços de telecomunicações fixa e móvel em todo o território nacional e conta com um portfólio de produtos completo e convergente para clientes B2C e B2B, chegando a 112 milhões de acessos (3T22). A empresa está presente em 4,9 mil cidades com rede 3G, mais de 4,6 mil com 4G, e 3,2 mil municípios com a rede 4,5G. No segmento móvel, a Vivo tem 97 milhões de acessos e responde pela maior participação de mercado do segmento (38%) no País, de acordo com resultados do balanço trimestral (3T22). No âmbito dos patrocínios, a marca tem uma longa história no apoio ao esporte e é patrocinadora oficial da Seleção Brasileira desde 2005. Ao longo dos anos, a empresa vem ampliando sua atuação no cenário de esportes outdoor e apoia iniciativas de beach tennis, ciclismo e automobilismo de aventura por todo o Brasil.

Sobre a Gerdau:

Com 122 anos de história, a Gerdau é a maior empresa brasileira produtora de aço e uma das principais fornecedoras de aços longos nas Américas e de aços especiais no mundo. No Brasil, também produz aços planos, além de minério de ferro para consumo próprio. Além disso, possui uma divisão de novos negócios, a Gerdau Next, com o objetivo de empreender em segmentos adjacentes ao aço. Com o propósito de empoderar pessoas que constroem o futuro, a companhia está presente em 9 países e conta com mais de 36 mil colaboradores diretos e indiretos em todas as suas operações. Maior recicladora da América Latina, a Gerdau tem na sucata uma importante matéria-prima: 71% do aço que produz é feito a partir desse material. Todo ano, 11 milhões de toneladas de sucata são transformadas em diversos produtos de aço. A companhia também é a maior produtora de carvão vegetal do mundo, com mais de 250 mil hectares de base florestal no estado de Minas Gerais. Como resultado de sua matriz produtiva sustentável, a Gerdau possui, atualmente, uma das menores médias de emissão de gases de efeito estufa (CO₂e), de 0,90 t de CO₂e por tonelada de aço, o que representa aproximadamente a metade da média global do setor, de 1,89 t de CO₂e por tonelada de aço (worldsteel). Para 2031, a meta da Gerdau é diminuir as emissões de carbono para 0,83 t de CO₂e por tonelada de aço. As ações da Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo (B3), Nova Iorque (NYSE) e Madri (Latibex).

Sobre a Corona

Corona nasceu no México em 1925 e é a marca de cerveja mexicana mais popular do mundo, exportada para mais de 150 países. Criada na natureza, é sinônimo de praia e de celebração dos momentos ao ar livre, convidando as pessoas a fazerem uma pausa e relaxarem. Corona é vendida no Brasil pela Ambev desde 2014 e é parceira de iniciativas sustentáveis, tendo recolhido mais de 17,5 toneladas de lixo em 77 limpezas de praia pelo país. A marca também foi pioneira ao lançar a primeira long neck premium retornável do Brasil e foi reconhecida em 2021 como a primeira marca global de bebidas neutra em resíduos plásticos, o que significa que a marca recupera e recicla mais plástico do que utiliza em sua cadeia de produção e distribuição.

Mais informações para a imprensa:

Esporte&Negócio

www.esporteenegocio.com.br – @esporteenegocio
Chris Volpe – [email protected] – (13) 99177 1529
Guto Francischini – [email protected] – (11) 98437 6545

Sede: Rodovia Jornalista Manoel de Menezes, 2001, Praia Mole,
Florianópolis/SC – CEP: 88.0061-700.

logo cbs 99

©2024. Confederação Brasileira de Surf – CBSurf